domingo, 19 de outubro de 2008

Esquecer-te, ser-me-á impossível



Quando decidi em te esquecer,
(e é se esquecer é o termo certo)
Foi quando descobri que te amava.
Que te amava de verdade,
Que te amava mais que tudo na vida,
Mais que as fontes à água,
Mais que a Primavera às andorinhas!
Amava-te mais do que realmente pensara,
Amava-te mais do que a mim!
Para mim estar dormir ou a acordada,
Não tinha diferença, não havia oposições,
Porque, quer de noite quer de dia,
Quer dormindo, quer acordada,
Sonhava contigo, pensava em ti!
Tu eras o sol do meu dia,
A estrela da minha noite.
Eras o caminho da minha vida
E a razão do meu existir.
Eras a água da minha fonte,
O nevoeiro das minhas incertezas,
O luar das minhas mais claras duvidas,
O madrugar do meu amanhecer,
O crepúsculo do meu anoitecer!
Eras o navio onde naufragava,
Nos meus sonhos, no oceano,
Eras o meu barquito a remo
Que me remava no leito do rio!
Eras tudo para mim! …
Eras o meu perfume, numa noite de festa,
Eras o botão no decote do meu vestido!
Por isso e por muito mais
É impossível esquecer-te.
Fazes parte da minha vida …
Esquecer-te, … Ser-me-á impossível!

10/05/1991

beanabela



2 comentários:

ki-colado disse...

Que você O encontre nas mãozinhas das crianças pedintes quase sujas do pó e dos detritos das calçadas, e que só sabem o que significa a rudeza, ingratidão, agressividade e omissão, principalmente. E que você O encontre, e muito, na lembrança suave e sempre viva daquelas pessoas queridas e que já não estão mais fisicamente ao nosso lado. E que se lembre, então de agradecer por ser uma pessoa privilegiada em meio a um mundo tão contraditório!

E nunca se esqueça: Sonhe, busque, espere, ame e reame! Deixe sua alma voar alto... Mentalize seus desejos mais íntimos, e eles chegarão ao céu. Irão se misturar as estrêlas, irão penetrar no universo, e voltarão cheios de energia para se tornarem reais. Basta querer de verdade, ter fé e nunca, mas nunca, desistir deles. É preciso confiar em si mesma, e em Deus que jamais nos abandona.

Cumprimentos.

Perla disse...

Tantos adjectivos!!!
Belo poema!
O amor deve estar sempre no coração.
Beijinhos